TEMA DA 39ª EDIÇÃO

39º Festival Guarnicê de Cinema: Novos Olhares, Novas Experiências

O Festival Guarnicê de Cinema está em ritmo de preparação para comemorar seu 40º aniversário. Um festival tão longevo, que marcou e faz parte da história do cinema do Maranhão, precisa recuperar constantemente as marcas de seu percurso na busca de caminhar para a consolidação de seu papel no estado. Acreditamos que afirmar uma identidade trata-se de fortalecer uma memória que sempre se atualiza por meio das novas tendências do audiovisual. É assim que, na 39 edição, o Festival Guarnicê de Cinema se prepara para olhar para suas  experiências tendo em vista o novo.

O que seria, portanto, pensar o novo na prática de um festival de cinema que tem atrás de si uma importante trajetória como marca? Acreditamos que pensar o novo perpassa por ressignificar constantemente uma tradição, permitindo a abertura ao inusitado. A palavra que nomeia o festival, Guarnicê, oriunda do bumba-meu-boi, nos ajuda a refletir sobre esse novo. Guarnicê, em nossas festas tradicionais, significa se preparar para entrar em ação. Essa preparação pode ser pensada como uma renovação, um novo fôlego para se reviver uma festa dona de um legado tão importante, mas que a cada ano se atualiza enquanto tradição.

Nessa perspectiva, esperamos que no 39 Festival Guarnicê todos os atores envolvidos se permitam um novo olhar e uma nova experiência. Passando pelo público espectador, realizadores, formadores, produtores do evento, o novo, que dialoga com uma tradição, deve se fazer presente ao longo de nossa programação e no encontro desses atores entre si.

Com relação ao espectador, o Guarnicê espera fornecer para exibição obras que sejam de uma qualidade estética que vão além das experiências comumente proporcionadas pelo circuito comercial. A programação do festival foi cuidadosamente trabalhada, desde o filme de abertura, que está pra lá de especial, até as Mostras Competitivas e as Mostras Cenário Brasil, Cenário Maranhão, com material selecionado por uma rigorosa seleção de curadores, Mostras Temática Novos Olhares para o Maranhão e Longas Convidados, de forma a proporcionar ao espectador uma experiência diferenciada, ímpar, na sala de cinema.

É nesse encontro do espectador com o cinema que buscamos que o nosso público se permita um olhar novo, aberto a essa nova experiência que o Festival Guarnicê de Cinema proporciona. Assim, pensamos cumprir uma importante missão dos festivais de cinema que é a formação de público. Educar o olhar para novas experiências cinematográficas se faz necessário para se ter em vista que cinema não é apenas entretenimento, cinema é arte que faz pensar, provoca, instiga, indigna, incomoda, orienta, mas também emociona, diverte, faz rir e/ou chorar.

Esse olhar novo é possível em qualquer faixa etária, como proporcionamos na  experiência diferenciada de nossa Mostra Especial Cinema não tem Idade, mas ocorre de uma forma especial entre o público infantil. Por isso, nessa edição, damos uma atenção especial em nossa programação ao olhar da criança com as Mostras Guarnicezinho e Mostra Jovem, que esse ano tiveram um rico material proporcionado pela parceria com o CineSesi Cultural e Anima Mundi, além da curadoria especialmente pensada para o público infanto-juvenil do material da competitiva. Em cada sessão teremos uma bela Recepção Lúdica da Cia Catártica para as crianças com personagens do cinema que irão levar a magia dos filmes na telona para as crianças, com muita diversão! O jovem, como público de olhar inovador, também terá a oportunidade de conversar com a diretora de animação, Aída Queiroz, fundadora do Anima Mundi, e assim conhecer mais de perto o mundo da animação.

A criança possui um olhar facilmente aberto a novas experiências e é por elas que podemos formar uma geração de espectadores capazes de reconhecer na arte do cinema nacional um meio de expressão de identidade e cultura. Assim é que o Festival, além de trazer a criança para a sala de cinema, vai levar o cinema para a sala de aula por meio de uma exibição especial na escola UI Governador José Murad com a presença do animador Beto Nicácio e a escritora Lenita Estrela de Sá, uma iniciativa do projeto Cinema em Todo Lugar que também fará um momento de formação com as crianças na oficina de flip book.

O encontro do público com o realizador faz parte da tônica de uma nova experiência cinematográfica entre esses atores, que devem dialogar sobre suas expectativas. Assim, durante o festival teremos espaços para que o realizador possa mostrar-se ao público e vice-versa, com o Movie Lounge: encontro com realizadores, onde estes falarão um pouco, de forma descontraída, para o público sobre o processo de realização de uma obra cinematográfica e suas experiências com o festival, e Sessões de Bate-Papo com temas sobre “Ofício do Ator”, com a presença especial da atriz Mayana Neiva, Djin Sganzerla, Áurea Maranhão e convidados, “A descentralização da produção audiovisual” com a equipe da Novelo Filmes e Rodrigo Camargo da Ancine e convidados e “Falando sobre Cinema Marginal”, com Helena Ignez, Frederico Machado e convidados especiais.

Nesse passo, pensamos que o Festival Guarnicê de Cinema se torna um espaço diferenciado para o realizador de cinema se mostrar aos olhos curiosos de adultos e crianças aptos a vivenciar o “sonho coletivo” da sala de cinema.  O cineasta que traz seu trabalho para o Guarnicê está certo de poder desenvolver estéticas e temáticas sem imposições ou limites, muitas vezes encontrados fora dos espaços dos festivais. No Guarnicê há um imperativo da criatividade acima de tudo e estamos satisfeitos de poder apresentar um produto em que percebemos a ousadia do olhar novo do cineasta ao buscar novas experiências estéticas, temáticas e técnicas, criando uma possibilidade criativa inédita tanto para o lado do cinema que produz, quanto para o que assiste.

Em prol do estímulo ao novo olhar na produção de cinema, o Festival irá proporcionar diversas Oficinas Formativas em parceria com a Novelo Filmes e Animadores Convidados: Da ideia ao roteiro, Dirigindo Filmes, A construção da personagem no audiovisual, Formatação e Estratégias de viabilização de  projetos audiovisuais, A montagem e a construção da narrativa e Oficina de Animação. Todas as oficinas tem um viés que une a teoria e a prática da realização em audiovisual.

Como grande homenageado do ano trazemos o cineasta Neville D’Almeida. Neville, mais atual do que nunca, estará presente com toda sua versatilidade artística em nosso festival. Dono da terceira maior bilheteria do país com a “Dama da Lotação”, um dos fundadores do movimento marginal, Neville é um dos cineastas mais importantes da história do cinema brasileira. Com ele podemos entender o que significa olhar para o novo, tendo em vista uma trajetória com importantes e significativas experiências. Dono de um estilo arrojado e contestador, Neville é um artista que vai contra as regras. Polêmico e controverso, torna-se um diretor necessário para aqueles que buscam novos olhares na experiência cinematográfica.

É dele nosso filme de abertura, A Frente Fria que a Chuva Traz, obra baseada na peça de Mário Bortolotto. O filme marca o retorno do cineasta após anos sem lançar um longa metragem desde de “Hoje é dia Rock” (1999). O longa, da Produtora República Pureza, conta a história de jovens milionários que promovem festas em favelas cariocas. Neville ressalta que a obra mantém a irreverência e a liberdade artística de suas produções.

Com toda a configuração de nossa programação, a produção do 39 Festival Guarnicê de Cinema, sob a direção da nova diretora do Departamento de Assuntos Culturais da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Empreendedorismo/UFMA, Fernanda Santos Pinheiro, está confiante de poder apresentar ao público maranhense uma grande celebração ao Cinema. Toda a equipe envolvida trabalhou em prol de um evento que pudesse despertar o olhar do público maranhense para as grandes e inovadoras experiências que a arte do cinema pode proporcionar. Com uma nova metodologia de engajamento de parceiros, apoiadores e colaboradores, uma rede guarnicê está sendo construída para que o nosso público possa se preparar para a grande festa que nos espera em 2017.  Assim é que fazemos nosso convite: Vamos entrando, que a casa é nossa, pois a festa está só começando!

Thais Nunes

Mestra em Cultura

Produção e Programação do 39º Festival Guarnicê de Cinema