Mostras competitivas maranhense e nacional atraem um grande público

Por Luana Alves, Victória Chaves 
Fotografia: Leonardo Mendonça. 

Um grande público acompanhou neste domingo, 10, o primeiro dia da Mostra Competitiva Maranhense como parte da programação do 41 Festival Guarnicê de Cinema, no Teatro Alcione Nazaré, no Centro Histórico de São Luís. A programação teve continuidade com a Mostra Competitiva Nacional na noite de domingo, no mesmo local.

No primeiro dia da mostra competitiva maranhense foram exibidos os curtas Foi-se, de Adriano Pinheiro; Você é Diferente, de George Pedrosa; Um Toque de Aurora, de Aditya J. Pedrosa; José Louzeiro: Depois da Luta, de Maria Thereza Soares; A Capataz, de Daniel Drummond; Marina, de Taciano Dourado Brito e o longa No Palco Com Aldo Leite, de Inaldo Lisboa.

Para o diretor Adriano Pinheiro, participar do Guarnicê é um sonho. Já Taciano Brito, que também concorre na mostra, é muito importante esse espaço que o Guarnicê nos dá há  41 anos, o fomento do audiovisual, essa porta e janela pra que a gente mostre nosso trabalho.”

Primeira noite de Mostra Competitiva nacional

A exibição dos filmes Vento Menino, de Edemar Miqueta, Apenas o Que Você Precisa Saber Sobre Mim, de Maria Augusta Nunes, e Meninas Formicida de João Paulo Miranda Maria e o longa Ouvidos Calados, de Mauro Baptistella marcou a primeira noite da Mostra Competitiva Nacional neste domingo, 10, no Teatro Alcione Nazaré. A sessão foi prestigiada por um grande público. A Mostra Competitiva nacional segue até sexta-feira, 15.

O Festival Guarnicê de Cinema, que segue até sábado, 16, é promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (DAC/PROEXCE), conta com patrocínio da Cemar, Governo do Maranhão/Sectur, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Banco do Nordeste, e Equatorial Energia. Ainda tem o apoio da Fundação Sousândrade, Assembleia Legislativa, Fundação Josué Montello, Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), Rádio Universidade FM, TV UFMA, CiaRio Brasil, Academia Internacional de Cinema e Vitrine Filmes.

As produções audiovisuais da noite abordaram temas como: suicídio, transexualidade, aborto e deficiência, possibilitando a reflexão sobre esses assuntos pelo público presente. O público aprovou a iniciativa, a exemplo de Leonardo Batista, pela primeira vez foi ao festival, e elogiou as discussões levantadas.

“Primeira vez aqui no Guarnicê e estou adorando, primeiro pela homenagem às mulheres e segundo as mostras de domingo que foram emocionantes e deram seu recado”, disse.

Em sua estreia como diretora Maria Augusta Nunes, que já esteve no Guarnicê em 2016 ministrando oficina não conteve a emoção ao participar de mais uma edição. “É maravilhoso participar do festival, que marca minha estreia como diretora e minha estreia em festivais de cinema”, destacou.