Exposição da artista plástica Wilka Sales será aberta nesta segunda, na Galeria Antônio Almeida da UFMA

“A experiência interior do corpo, erotismo e morte”

A artista plástica Wilka Sales vai inaugurar a exposição “A experiência interior do corpo, erotismo e morte”, nesta segunda-feira (06), às 19h, na Galeria Antônio Almeida, na sede provisória do Departamento de Assuntos Culturais (Dac) da Universidade Federal do Maranhão (rua Humberto de Campos, 174. Centro, em São Luís (MA). A mostra é uma promoção da Ufma, em parceria com o Curso de Artes Visuais e a Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Empreendedorismo (Proexce), por meio do Dac. A entrada é gratuita.

CORPO_CONVITE_IMPRESS-01

A exposição, que conta ainda com o apoio da Universidade Fm, TV Ufma e Tramando Fantasia, ficará aberta até o dia 24 deste mês, de segunda a sexta, das 9h às 12h e das 14h às 17h. A curadoria é da Prof.ª. Drª. Viviane Moura da Rocha. Segunda Wilka Sales, a experiência Interior: corpo, erotismo e morte, expõem diálogos e cruzamentos entre o corpo, o erotismo e a morte, apresentados na ótica de imagens simbólicas.

“Trata-se de uma pesquisa em arte, que visa trabalhar com a linguagem contemporânea da performance fotográfica – extensão da arte da performance onde o artista é o sujeito e objeto da sua obra. Seu corpo passa a ser explorado como suporte para experimentos e torna-se um suporte e canal de comunicação – questionador de valores éticos, sociais e que sofre intensas transformações”, explica a artista.

Segundo Wilka Sales, este trabalho surgiu a partir das poéticas visuais Ex Vivos (2013,2014 e 2015), com as temáticas do corpo do erotismo da morte que deram suporte para o seu projeto de pesquisa em arte “A Experiência Interior: corpo, erotismo e morte na arte contemporânea”, TCC do curso de Artes Visuais da Ufma, sob orientação e curadoria da professora doutora Viviane Moura da Rocha.

 

Saiba mais sobre a exposição

Por Wilka Sales

“A pesquisa em arte contribui igualmente à produção de conhecimento, transmitida através da monografia e da exposição como resultado das investigações desenvolvidas, e que representa um grande valor para a comunidade acadêmica da Ufma, o que denota o mérito técno-científico. Outra relevância é sua contribuição para o desenvolvimento artístico-cultural do Maranhão, cuja consequência será uma maior qualidade na produção artística fundamentada na pesquisa, conforme exige hoje o sistema da arte contemporânea.

Um dos objetivos desta pesquisa é expor o simbolismo do corpo na arte contemporânea. Contribuir ao desenvolvimento da inter-relação da arte contemporânea entre diferentes linguagens, conhecimentos e materiais e provocar sensações e reflexões sobre corpo, erotismo e morte relacionando à produção artística. Umas das obras mais significativas destas poéticas é “O passado é homologado à morte”, pois é o fio condutor do meu projeto de mestrado.

Nessa obra, a memória é associada ao desvelamento e a luz, presentificada por uma mulher do século XIX com uma veste preta, representa esse passado – o esquecimento é associado à escuridão e pertence ao reino dos mortos (ARIÉS, 2012) A cor do vestido refere-se á transformação, uma mudança de direção ou virar-se para dentro, pois ‘o preto envolve e engole, é caverna e abismo, buracos do espaço e entranhas da terra, noite, melancolia morte’. As ruínas simbolizam a duração, o tempo, no qual, a angústia é uma experiência de dor, e é sempre vivida à maneira de uma estranheza absoluta, de uma irredutibilidade de si, e a incerteza da vida e certeza da morte (LE BRETON, 2012, p.146)”.

Serviço

O quê: Abertura da exposição “A experiência do corpo, erotismo e morte”, de Wilka Sales

Quando: Segunda-feira (06) de fevereiro de 2017

Horário: 19h

Onde: Galeria Antônio Almeida (rua Humberto de Campos, 174. Centro histórico).

Visitação: Até 24 deste mês, de segunda à sexta das 9h às 12h e 14h às 17h.

Pauta:

Wilka Sales – 98 98302 1288